terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

NASA DESCARTA PERIGO DO ASTEROIDE FINAL E CONTRADIZ A BÍBLIA

Asteroide vai passar muito próximo da Terra em 15 de fevereiro
Apesar de não haver risco de colisão com a Terra, asteroide pode atingir satélites.
Foto: Nasa / Reprodução

Um asteroide vai passar bastante próximo da Terra na próxima semana, porém não há chances de a rocha espacial atingir o planeta, de acordo com cientistas. Batizado de 2012 DA14, a pedra de 45 metros de largura vai passar a uma distância de 27,7 mil quilômetros no dia 15 de fevereiro - uma distância menor do que a mantida por satélites de comunicação na órbita terrestre. Apesar de o voo ser o mais próximo já registrado para um asteroide desse tamanho, não há razão para temer.
Se estivesse em rota de colisão com a Terra, o asteroide produziria um impacto equivalente a 2.5 megatons de TNT - o equivalente a uma bomba atômica. E essa é apenas uma das mais de 500 mil rochas espaciais ao redor do planeta. O impacto seria capaz de destruir uma grande cidade como Londres. A próxima passagem de um asteroide nas proximidades do planeta só deve acontecer em 2046 - a uma distância muito maior, de 1 milhão de quilômetros.
"A Nasa pode prever com precisão o caminho do asteroide com as observações feitas, e é possível afirmar que não há chance de o asteroide entrar em rota de colisão com a Terra", informou a agência espacial americana em um comunicado. "Mesmo assim, a passagem vai fornecer uma oportunidade única para pesquisadores estudarem um objeto como esse tão de perto."
A agência espacial americana vai fazer uma entrevista coletiva sobre o fato na quinta-feira. O 2012 DA14 foi descoberto por astrônomos há um ano. O asteroide será visível até mesmo através de binóculos e pequenos telescópios, especialmente na Ásia, Austrália e Europa Oriental. Apesar de não haver risco para os humanos, é possível que a rocha impacte algum satélite ou veículo espacial. A chance, no entanto, é pequena, segundo a Nasa.

Nasa descarta perigo do 'asteroide do juízo final' e contradiz a Bíblia ( o grifo é meu)(a imagem é ilustrativa)
Apocalipse 8:11 “O nome da estrela é Absinto; e a terça parte das águas se tornou em absinto, e muitos dos homens morreram por causa dessas águas.

Uma rocha espacial popularmente conhecida como "asteroide do juízo final" devido a temores de que pudesse colidir com a Terra dentro de algumas décadas não representa uma ameaça, informou a Nasa após fazer algumas observações do objeto.
O asteroide 99942 Apophis foi escaneado por telescópios ópticos e radares no espaço profundo durante um sobrevoo do corpo celeste esta semana, informou a agência espacial americana (Nasa) em um comunicado.
Batizado com o nome do deus do mal e da escuridão na mitologia egípcia, Apophis despertou temores quando foi detectado pela primeira vez, em 2004.
Os primeiros cálculos sugeriram uma probabilidade de colisão de 2,7% em 2029, a mais alta já registrada em um asteroide, mas este risco foi logo descartado em observações posteriores.
No entanto, permanecia a dúvida sobre uma possibilidade de impacto em 13 de abril de 2036, que a Nasa inicialmente estabeleceu em uma em 45.000 e depois diminuiu para uma em 250.000.
Novas observações demonstram que até mesmo esta remota possibilidade pode ser excluída, informou o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) em um comunicado publicado esta quinta.
"Com os novos dados efetivamente descartamos a possibilidade de um impacto do Apophis com a Terra em 2036", disse Don Yomans, encarregado do programa Near-Earth Object, do JPL.
"A probabilidade de impacto agora é de menos de uma em um milhão, o que nos deixa numa situação confortável para efetivamente descartar um impacto com a Terra em 2036. Nosso interesse no asteroide Apophis será essencialmente científico no futuro previsível", destacou.
A aproximação em 2036 será a maior de um asteroide de seu tamanho, pois Apophis chegará a 31.300 km do nosso planeta, o que significa que passará raspando nas órbitas dos satélites geoestacionários.
Em 15 de fevereiro, o asteroide 2012 DA14 se aproximará ainda mais.
Yeomans disse que o DA14 tem 40 metros de comprimento e passará próximo ao planeta em apenas 27.500 km.
Imagens do Apophis, capturadas esta semana pelo telescópio Herschel, da Agência Espacial Europeia (ESA), mostrou que ele tem 325 metros de comprimento, cerca de um quinto maior do que se pensava anteriormente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário