domingo, 27 de fevereiro de 2011

ENTENDA O QUE É O ESTADO MUNDIAL MUÇULMANO E A REVOLUÇÃO ÁRABE

Desligue o player da radio do blog e assista ao video
A Fraternidade Muçulmana do Egito:em suas próprias palavras

Jonathan D. Halevi
19 Fevereiro 2011

Artigos – Globalismo

A Fraternidade é meticulosa em seu planejamento passo a passo, primeiramente de tomar posse da alma do indivíduo e depois da família, do povo, da nação e da união de nações islâmicas, até que o Estado islâmico mundial seja uma realidade.

• A Fraternidade Muçulmana tem exercido um papel mais importante na organização dos protestos contra o regime político egípcio à medida que apresenta seu programa político independente. Rashad al-Bayumi, o segundo homem em importância na Fraternidade, anunciou em uma entrevista à televisão japonesa que o grupo se uniria a um governo transitório a fim de cancelar o tratado de paz entre Egito e Israel, uma vez que o mesmo “ofende a dignidade dos árabes e destrói os interesses do Egito e de outros Estados árabes”. A seguir ele enfatizou que o Egito não precisa de ajuda americana.

• A Fraternidade Muçulmana participa, sim, de atividades políticas e defende o processo democrático. Todavia, isso não acontece porque ela tenha aceitado os princípios da democracia ocidental, mas porque o processo democrático pode ser explorado para estabelecer um regime islâmico que, então, tornará a democracia desnecessária.

• O Guia Supremo da Fraternidade Muçulmana, Muhammad Mahdi ‘Akef informou ao jornal egípcio Al-Karama, em 2007, que apenas o islamismo era a expressão da verdadeira democracia. “O Islamismo e seus valores precederam o Ocidente fundando a verdadeira democracia, exemplificada pelo Shura [o conselho consultivo dos Califas]“.

• O site oficial da Fraternidade observa que a jihad (guerra santa) é o instrumento mais importante do islamismo para efetuar uma conquista gradual, a começar com as nações islâmicas, prosseguindo para restabelecer o califado nos três continentes em preparação para uma conquista do Ocidente e, finalmente, para a instituição de um Estado islâmico mundial.

• O planejamento passo-a-passo da Fraternidade Muçulmana determina sua suposta “moderação”, a qual irá desaparecer gradativamente à medida que suas realizações aumentem e sua aceitação da situação existente seja substituída por um rígido governo muçulmano ortodoxo, cuja política externa seja baseada na jihad.

A Fraternidade Muçulmana se Unirá a um Governo Transitório

O governo Obama discutiu com líderes egípcios uma proposta de renúncia imediata do presidente Hosni Mubarak e a entrega do poder a um governo transitório encabeçado pelo [então] vice-presidente Omar Suleiman, com o apoio do exército egípcio, de funcionários do governo e de diplomatas árabes, informou o New York Times no dia 3 de fevereiro de 2011. De acordo com a proposta americana, o governo transitório incluiria membros de uma ampla diversidade de grupos oposicionistas, inclusive da Fraternidade Muçulmana.

A Fraternidade Muçulmana, um movimento global que tem o Hamas como seu ramo palestino, tem exercido um papel mais importante na organização dos protestos contra o regime político egípcio à medida que apresenta seu programa político independente, desafiando tanto a administração americana quanto Israel. Rashad al-Bayumi, o segundo homem em importância na Fraternidade Muçulmana, anunciou em uma entrevista à televisão japonesa (e que foi citada pelo jornal al-Hayat) que o grupo se uniria a um governo transitório a fim de cancelar o tratado de paz entre o Egito e Israel, uma vez que ele “ofende a dignidade dos árabes e destrói os interesses do Egito e de outros Estados árabes”. A seguir, ele explicou que sua animosidade com relação ao governo americano deriva do apoio que este dá a Israel, enfatizando que o Egito não precisa de ajuda americana.

A Democracia é o Caminho de Entrada do Islamismo ao Poder

A Fraternidade Muçulmana participa, sim, de atividades políticas e defende o processo democrático. Todavia, isso não acontece porque ela tenha aceitado os princípios da democracia ocidental, mas porque o processo democrático pode ser explorado para estabelecer um regime islâmico que, então, tornará a democracia desnecessária, como ficou evidente por meio de sua plataforma nas eleições parlamentares egípcias em 2007. A organização afirmou que estava participando das eleições porque “a Fraternidade Muçulmana prega o caminho de Alá (…) [e, portanto, está participando] para cumprir com os mandamentos de Alá, de maneira pacífica, usando as instituições constitucionais existentes e uma decisão determinada pelas urnas de votação secreta”. Ou seja, a democracia é o caminho de entrada do islamismo ao poder.

Na plataforma da Fraternidade Muçulmana também constava que “o governo [no Egito] deverá ser republicano, parlamentarista, constitucional e democrático, de acordo com a Sharia Islâmica [código de leis do islamismo]“, e que “a Sharia assegura liberdade para todos”. A organização não aceita o princípio da separação entre Igreja [Religião] e Estado, e o governo islâmico a que aspira é, para ela, uma realização da democracia.

Entrevistado dia 17 de setembro de 2007 pelo jornal diário egípcio Al-Karama, o Guia Supremo da Fraternidade Muçulmana, Muhammad Mahdi ‘Akef, disse que o slogan da campanha da organização seria: “A Sharia é a Solução”, e que os direitos humanos e a democracia seriam incluídos no governo sob a Sharia. Ele devotou sua carta semanal de 12 de maio de 2007 a uma exposição sobre a democracia vista de acordo com os olhos da Fraternidade Muçulmana. Disse que apenas o islamismo, o qual foi dado aos homens por Alá, era a expressão da verdadeira democracia. ‘Akef escreveu:

o islamismo precede [...] as doutrinas e ideologias inventadas pelos homens. A mensagem final e absoluta dos céus contém todos os valores que o mundo secular afirma ter inventado [...]. O islamismo e seus valores precederam o Ocidente fundando a verdadeira democracia, exemplificada pelo Shura [o conselho consultivo dos Califas], e o respeito do islamismo pela igualdade das outras religiões. [...] Com respeito à liberdade, o islamismo alcançou um objetivo que os pregadores seculares não alcançaram, pois a liberdade prometida pelo islamismo é genuína em todos os seus aspectos, mesmo quanto à fé e à religião. (…) Quanto à afirmação de que o islamismo não reconhece a autoridade civil, a autoridade do islamismo é democrática [....] ela é uma liberdade genuína, fornece igualdade na prática e é transparente; ela nunca oprime nem rouba ao homem seus direitos [...]. É sobre esse fundamento e com esses valores que a Fraternidade Muçulmana clama por justiça, igualdade e liberdade.

‘Akef nunca utilizou expressões ambíguas para se referir à sua visão sobre a democracia ocidental. No dia 30 de abril de 2005, ele disse ao jornal diário egípcio Al-Ahram que a Fraternidade Muçulmana se opunha à democracia americana porque ela era “corrupta e servia aos programas americanos [...]. A Fraternidade Muçulmana tem realizado manifestações contra a intervenção estrangeira e contra qualquer democracia que sirva aos americanos [...]. A democracia [americana] é corrupta porque quer destruir a nação [islâmica], sua fé e tradição”. Ele disse à BBC que a democracia ocidental “não era realista” e era “falsa”.

Um dos exemplos de ‘Akef sobre os “valores corruptos” da América é a tentativa de impedir a circuncisão feminina na África. No dia 12 de julho de 2007, ele escreveu que “[os americanos] gastam bilhões de dólares e ininterruptamente maquinam mudar o modo de vida dos muçulmanos, promovem a guerra contra os líderes muçulmanos, as tradições de sua fé e de suas idéias. Eles até mesmo promovem guerra contra a circuncisão feminina, uma prática comum em 36 países, que tem prevalecido desde os tempos dos faraós”.

A Importância da Jihad

De acordo com a Fraternidade Muçulmana, a jihad, isto é, a guerra santa contra os infiéis, é um dos elementos fundamentais difundidos pela Fraternidade Muçulmana. A ideologia da organização, como aparece em seu site oficial, considera “o Profeta Maomé como seu líder e governador, e a jihad como seu caminho”. A jihad possui uma estratégia global que vai além da auto-defesa; é o incessante ataque a todos os governos dos infiéis, com a intenção de ampliar as fronteiras do Estado islâmico até que a humanidade viva debaixo da bandeira islâmica.

Ao clicar nos links “The Goals of the Muslim Brotherhood” [Os Objetivos da Fraternidade Muçulmana] e “Muslim Brotherhood Measures” [Medidas da Fraternidade Muçulmana] chega-se a explicações sobre a jihad baseadas nos escritos do fundador da Fraternidade Muçulmana, Hassan al-Banna. É observado ali que a jihad é o instrumento mais importante do islamismo para efetuar uma tomada gradativa de poder, começando pelos países muçulmanos, seguindo para o restabelecimento do Califado sobre três continentes em preparação para a conquista do Ocidente e, finalmente, instituindo um Estado islâmico mundial. O site da organização declara:

Queremos um indivíduo muçulmano, um lar muçulmano, um povo muçulmano, um governo e um Estado muçulmanos que liderem os países islâmicos e que tragam ao sagrado aprisco a diáspora muçulmana e as terras que foram roubadas do islamismo, e que depois ergam o estandarte da jihad e o chamado [da'wah] a Alá. [Então, o] mundo aceitará alegremente os preceitos do islamismo [...]. Os problemas para conquistar o mundo apenas terminarão quando a bandeira do islamismo estiver tremulando e a jihad tenha sido proclamada.

O objetivo é estabelecer um Estado islâmico de países islâmicos unidos, uma nação debaixo de uma liderança cuja missão será reforçar a aderência à lei de Alá [...] e o fortalecimento da presença islâmica na arena mundial [...]. O objetivo [...] é o estabelecimento de um Estado islâmico mundial.

E, se a oração é o pilar da fé, então a jihad é o seu cume [...] e a morte no caminho de Alá é o auge da aspiração.

A Fraternidade Muçulmana não esconde suas aspirações globais e o caminho violento que pretende seguir a fim de alcançá-las. A Fraternidade é meticulosa em seu planejamento passo a passo, primeiramente de tomar posse da alma do indivíduo e depois da família, do povo, da nação e da união de nações islâmicas, até que o Estado islâmico mundial seja uma realidade. O princípio dos estágios dita a suposta “moderação” da Fraternidade Muçulmana. Todavia, essa “moderação” irá desaparecer gradativamente à medida que as realizações da Fraternidade Muçulmana aumentem e sua aceitação da situação existente seja substituída por um rígido governo muçulmano ortodoxo, cuja política exterior seja baseada na jihad.

Para a Fraternidade Muçulmana, a jihad está no centro do conflito contra os Estados Unidos, o Ocidente, Israel e outros regimes políticos de infiéis. O supremo líder da Fraternidade Muçulmana considera que o islamismo está deflagrando “uma batalha de valores e identidade” contra as forças do “imperialismo” e os “anglo-saxões” que estão atacando o mundo árabe-islâmico “com o pretexto de difundir a democracia, de defender os direitos das minorias, e de se opor ao que eles chamam de terrorismo”. Ele aconselha os muçulmanos a adotarem “a cultura da resistência contra a invasão”, explicando que Alá deu “a jihad e a resistência às nações ocupadas e oprimidas como meios para alcançarem a liberdade”. Ele acrescentou que “a cultura da resistência à invasão e à ocupação têm aspectos intelectuais, militares e econômicos. A experiência na Palestina, no Iraque e no Afeganistão provou que a resistência não é imaginária ou fictícia ou impossível, mas que, em vez disso, é possível quando a nação [islâmica] apresenta uma frente unida e usa suas armas e sua fé para encarar um imperialista, quer ele venha com armas, quer nos inunde com suas idéias, seus valores ou sua moralidade obsoleta”. O sucessor de ‘Akef, Mohammad Badi’, mantém a mesma plataforma.

(Jonathan D. Halevi — Jerusalem Center for Public Affairs — www.jcpa.org – www.Beth-Shalom.com.br)

O tenente-coronel (da reserva) Jonathan D. Halevi é pesquisador-sênior sobre o Oriente Médio e sobre o islamismo radical do Jerusalem Center for Public Affairs (Centro de Assuntos Públicos de Jerusalém). É co-fundador do Orient Research Group (Grupo de Pesquisas Sobre o Oriente) e ex-consultor da Divisão de Planejamento de Políticas do Ministério de Relações Exteriores de Israel.

Nota:

Uma análise abrangente dos programas da Fraternidade Muçulmana pode ser encontrada em “The Muslim Brotherhood: A Moderate Islamic Alternative to al-Qaeda or a Partner in Global Jihad?” [A Fraternidade Muçulmana: Uma Alternativa Islâmica Moderada para a Al-Qaeda ou uma Parceira na Jihad Mundial?], de Jonathan D. Halevi.

Publicado em português na revista Notícias de Israel 3/2011 – http://www.beth-shalom.com.br/

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

SOL PRODUZ MAIOR EXPLOSÃO DE RAIOS-X DOS ULTIMOS 4 ANOS

Eram exatamente 23h56 pelo horário de Brasília quando os satélites que monitoram o ambiente espacial deram o aviso. Depois de quase quatro anos sem qualquer manifestação mais intensa, finalmente o Sol deu o ar da graça e disparou contra a Terra a primeira forte emissão de raios-x do atual Ciclo Solar 24.
A emissão eletromagnética foi produzida por uma forte explosão ocorrida junto ao grupo de manchas solares 1158, apontadas diretamente na direção do nosso planeta. Além da radiação, a explosão provocou uma espécie de tsunami que “chacoalhou” a atmosfera da estrela e produziu uma grande ejeção de massa coronal que nos próximos dias deverá atingir a alta atmosfera da Terra.

Essa massa de partículas é composta de bilhões de toneladas de gás ionizado que se desloca a mais de 2 milhões de quilômetros por hora. Quando atinge a camada mais alta da atmosfera, excitam os átomos de oxigênio e nitrogênio, provocando as fantásticas auroras boreais.

De acordo com dados registrados pelo satélite geoestacionário GOES-10, o fluxo de raios-x atingiu o nível “X” da escala de intensidades. Como as ondas eletromagnéticas se propagam muito mais rápido que as partículas que ainda estão se aproximando, o nível da emissão no comprimento de onda dos raios-x permite estimar o tamanho da tempestade geomagnética que deverá atingir a Terra.

Normalmente, emissões de nível X são capazes de provocar blackouts de radiopropagação que podem durar diversas horas ou até mesmo dias. Quando a emissão é muito intensa, as tempestades geomagnéticas também podem causar danos em equipamentos eletrônicos sensíveis e até mesmo provocar problemas no fornecimento de energia elétrica caso as correntes elétricas sejam induzidas nas linhas de transmissão.

Ilustrações: No topo, o grupo de manchas solares 1158. A explosão ocorre quando a energia aprisionada magneticamente sobre as manchas solares é repentinamente liberada. Na sequência, gráfico mostra o pico no fluxo de raios-x detectado pelo satélite GOES-10, no comprimento de onda de 8 Angstroms, às 01h56 UTC (23h56 pelo horário de Brasília). Créditos: NASA/Solar Dynamics Observatory (SDO) / SWPC (Centro de Previsão de Clima Espacial dos EUA) / Apolo11.com

Direitos Reservados
Ao utilizar este artigo, cite a fonte usando este link:

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

AS ABELHAS ESTÃO SUMINDO


Desligue o player da radio do blog e assista ao video
O misterioso sumiço das abelhas agora também no Brasil
Desaparecimento de inseto em colmeias preocupa os EUA e agora o Brasil; em SC, comissão investiga caso
Karina Ninni – O Estado de S.Paulo

Há cerca de quatro anos, apicultores americanos, canadenses e europeus começaram a ter problemas com suas abelhas melíferas (Apis mellifera): elas estavam desaparecendo das colmeias. O sumiço estava causando prejuízo tanto aos que viviam diretamente da polinização e do beneficiamento dos produtos de origem apiária quanto aos agricultores, que dependiam dos insetos nas lavouras.

“As colmeias tinham muita cria e poucas abelhas adultas. Destas, a maioria era recém-nascida, mas a rainha continuava presente”, afirma o professor de genética na Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto, David D. Jong.

O mesmo está acontecendo em Santa Catarina, onde a Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores (Faasc) recebeu tantas reclamações recentemente que criou uma comissão técnico-científica para estudar o assunto.

“As maiores queixas foram de apicultores do litoral sul e da Grande Florianópolis. A média de perda de colmeias relatada gira em torno de 30%”, afirma Afonso Inácio Orth, professor do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e membro da comissão. Ele explica que sempre há uma perda no manejo das colmeias, algo entre 5% e 15% – 30% é muito.

Nos EUA, a “doença” do desaparecimento das abelhas foi diagnosticada como Colony Collapse Disorder (CCD). As abelhas deixam para trás cria, mel e tudo o que produzem. O curioso é que nas colmeias atacadas não se veem abelhas mortas; nem dentro, nem ao redor.

Algumas possíveis causas já foram apontadas, como o uso de novos inseticidas, aparição de vírus, problemas com a variabilidade genética, falta de alimentos adequados, fungicidas que afetam a alimentação das abelhas e a intensidade no manejo das colmeias, que são transportadas e alugadas para a polinização de lavouras em todo o País.

Ácaros como o Varroa destructor e protozoários como a Nosema, conhecidos dos pesquisadores, também foram cogitados. Mas a abelha africanizada usada no Brasil, surgida a partir da mistura de uma subespécie europeia e uma africana, é mais resistente a doenças do que as europeias e não precisa de tratamento com fungicidas e, em condições normais, resiste ao ácaro.

“Não podemos afirmar que seja o mesmo problema que ocorre nos EUA, mas os sintomas são bem parecidos”, diz Orth.

Polinização e mel. De acordo com David D. Jong, o desaparecimento de abelhas já é um fenômeno mundial e pode causar danos à agricultura.

“Nos EUA, no auge dos relatos, o aluguel de uma colmeia para polinização passou de US$ 40 por mês para algo entre US$ 150 e US$ 200.” Ele lembra que o Estado da Califórnia é totalmente dependente da polinização dirigida na produção de frutas e que só as plantações de amêndoa da Califórnia mobilizam 1,4 milhão de colmeias na florada.

Em Santa Catarina, os preços também dispararam na safra do ano passado. “Quem contratou de última hora pagou R$ 75 por uma colmeia que até ontem era alugada a R$ 45 por florada”, afirma Orth.

Santa Catarina foi pioneira no uso profissional das colmeias para a polinização das macieiras. Hoje são utilizadas cerca de 120 mil colmeias para isso, de acordo com Orth. O Estado produziu, na última safra, 700 milhões de toneladas de maçãs, mais de 50% da safra do sul do País, de 1,2 bilhão de toneladas.

Segundo Nézio Fernandes de Medeiros, presidente da Faasc, os apicultores que perderam abelhas ficaram desesperados.

“Quem sente mais depressa são os que vivem diretamente dos produtos. Há 30 mil famílias que dependem da produção de mel. A perda estimada foi de 6 mil toneladas do produto no ano passado”, disse ele.

A boa notícia é que as abelhas, que vivem cerca de 30 dias, se reproduzem rapidamente: cada uma pode por até 3 mil ovos por dia, em média.

FONTE-ESTADÃO

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

DATAS INCOMUNS OU SERÁ OBRA DO ACASO?

ESTAMOS DE OLHO VIVO
Este ano vamos experimentar quatro datas incomuns .... 1/1/11, 1/11/11, 11/1/11, 11/11/11



E tem mais!!!


Agora vão descobrir:


pegue os últimos 2 dígitos do ano em que nasceu mais a idade que você vai ter este ano e será igual a 111 para todos!


ALGUEM EXPLICA O QUE E ISSO ????..

sábado, 12 de fevereiro de 2011

DESLOCAMENTO MAGNÉTICO DOS POLOS PODEM ESTAR CAUSANDO SUPER FURACÕES GLOBAIS

(Chicago) - A NASA está alertando sobre isso ... artigos científicos foram escritos sobre ele ... geólogos têm visto os seus vestígios em estratos de rochas e amostras de gelo ...

Agora, "ele" está aqui: uma mudança magnética imparável nos pólo que se acelerou e está causando confusão pondo em risco a vida e o clima do mundo.
Esqueça o aquecimento global sintético ou natural, o que impulsiona os padrões climáticos do planeta é o clima e o que impulsiona o clima é magnetosfera do sol e sua interação eletromagnética com o próprio campo magnético do planeta.

Quando existe as mudanças de campo, quando ela oscila, quando ele entra em fluxo e começa a tornar-se instável, tudo pode acontecer. E o que normalmente acontece é que a coisa pega fogo.

Deslocamentos polares têm ocorrido muitas vezes na história da Terra. Está acontecendo novamente em cada planeta do sistema solar incluindo a Terra.

Os superstorms chegaram

A primeira evidência que temos de que o ciclo começou é a série de supertempestade perigosas e devastadoras que atingiu o Reino Unido durante o final de 2010.

Na esteira das Ilhas Britânicas tempestades monstro começarram a surrar a América do Norte. A última supertempestade é um monstro sobre os EUA que se estendia entre 2.000 milhas e afetaram mais de 150 milhões de pessoas.
Contudo, mesmo com a tempestade que causou estragos em todo o Centro-Oeste Ocidental, Sul e estados do Nordeste, outra supertempestade eclodiu no Pacífico e terminou na Austrália.

Alguns pesquisadores do clima, que estão acompanhando as mudanças do campo magnético estão prevendo superstorms no futuro, com ventos de até 300 a 400 mph.

Tais tempestades podem destruir totalmente tudo o que entrou em contato com a terra.

A possibilidade de tempestades como a da Australia vai causar estragos em nossa civilização e a explicação encontra-se na complicada relação eletromagnética entre o sol ea Terra. A sinergia de cabo-de-guerra já foi comparada por alguns como o berço de um gato primorosamente construída. E ele está em um constante estado de fluxo.

O sol é dinâmico, em constante mudança na magnetosfera elétrica e afetam o próprio campo magnético da terra e de certa forma a rotação da Terra, oscilação de precessão, a dinâmica do núcleo do planeta, suas correntes oceânicas e, acima de tudo, o tempo.

Rachaduras no escudo magnético da Terra

O pólo norte magnético da Terra se movia em relação à Rússia a uma taxa de cerca de cinco quilômetros por ano. É a progressão para o Leste que vem acontecendo há décadas.

De repente, na última década a taxa foi acelerada. Agora, o pólo magnético está se deslocando do leste a uma velocidade de 40 milhas por ano, um aumento de 800 por cento. E continua a acelerar.

Recentemente, como o campo magnético flutua, a NASA tem descoberto "rachaduras" na mesma. Isso é preocupante, pois afeta significativamente a ionosfera, troposfera, padrões de vento e umidade atmosférica. Todas as três coisas têm um efeito sobre o clima.

Pior, o que protege o planeta das radiações que causam câncer é o campo magnético. Ele age como um escudo defletor nocivos raios ultravioleta, raios-X e radiação. Com o enfraquecimento de campo e rachaduras emergentes, a taxa de mortalidade por câncer poderia disparar e mutações do DNA podem tornar-se descontrolada.

Outro órgão federal, NOAA, divulgou um relatório provocou uma onda de pânico quando previu que superstorms mamute no futuro pode acabar com a maioria da Califórnia. Os cientistas da NOAA disse que é um cenário plausível e seria dirigido por um “rio atmosférico” movimento da água com a mesma taxa de 50 rios Mississippi desaguarem no Golfo do México.

O campo magnético pode mergulhar, virar e desaparecer

The Economist escreveu um artigo detalhado sobre o campo magnético e que está acontecendo com ele. No artigo, disseram eles:
"Há, entretanto, um crescente corpo de evidências de que o campo magnético da Terra está prestes a desaparecer, pelo menos por enquanto. O histórico geológico mostra que ele vira de vez em quando, com o pólo sul, tornando-se a norte, e vice-versa .

Discutir a mudança magnética polar eo impacto sobre o clima, o acadêmico de papel "do tempo e do campo magnético da Terra" foi publicado na revista Nature. Os cientistas também estão muito preocupados com o perigo crescente do superstorms eo impacto sobre a humanidade.

Superstorms destruirão a agricultura causando danos em todo o planeta levando à fome em massa, eles irão também alterar costas, a destruir cidades e criar dezenas de milhões de desabrigados.

Um estudo dinamarquês publicado na revista científica Geology, encontraram forte correlação entre as alterações climáticas, padrões climáticos e do campo magnético.

"O clima da Terra tem sido significativamente afetado pelo campo magnético do planeta''.

Polo reversão também pode iniciar nova Idade do Gelo

Segundo alguns geólogos e cientistas, que deixaram o último período interglacial atrás de nós. Estes períodos são pedaços de tempo de cerca de 11.500 anos, entre os principais periodos de era do gelo.

Um dos sinais mais impressionantes que se aproxima a Idade do Gelo é o que aconteceu com oscilação de precessão do mundo.

A oscilação da Terra parou

Conforme explicado no site da geologia e do espaço da ciência earthchangesmedia.com , "A oscilação de Chandler foi primeiramente descoberta em 1891 por Seth Carlo Chandler um astrônomo americano.

O efeito faz com que os pólos da Terra se mover em um círculo irregular de 3 a 15 metros de diâmetro em uma oscilação. Wobble A Terra tem um ciclo de 7 anos, que produz dois extremos, um círculo em espiral pequena oscilação e um círculo em espiral grande oscilação, cerca de 3,5 anos de diferença.

Para a conclusão deste artigo, visite: http://www.helium.com/

sábado, 5 de fevereiro de 2011

TEMPESTADE SOLAR PODE SER CAUSA DO APAGÃO NO NORDESTE

Apesar do recente apagão do Nordeste ter como provável causa o acionamento do sistema de proteção em uma subestação no município de Jatobá, em Pernambuco, as causas que levaram ao apagão podem ter sido provocadas por um repentino pulso eletromagnético ocorrido às 23h36 (Hora do Nordeste), provocado por uma tempestade solar.

Em boletim recebido do SWPC, Centro de Previsão de Tempo Espacial dos EUA, às 02h36 UTC (23h36 no Nordeste e 00h36 em Brasília), magnetômetros instalados em Boulder, no Colorado, registraram um repentino pulso eletromagnético de 8 nanoTeslas(Tesla é a unidade de medição de campos magnéticos).

Exatamente nesse mesmo instante, quase toda a região Nordeste ficou às escuras. Segundo relatos feitos no site Painel Global, diversos carros e luzes também apresentaram funcionamento errático e intermitente, além de muita interferência nas estações de rádio.

O pulso eletromagnético detectado nos EUA teve origem após uma explosão solar ocorrida no dia 31 de Janeiro, quando uma grande quantidade de massa coronal foi ejetada da estrela. A maior parte dessas partículas seguiu em direção ao espaço, enquanto uma pequena parcela atingiu o campo magnético terrestre e pode ter provocado auroras nas latitudes médias e altas.

Ainda é muito cedo para se afirmar com certeza se de fato o pulso eletromagnético foi o responsável por fazer “cair” o sistema elétrico em diversos Estados, mas os relatos de interferências em estações de rádio associados ao exato momento que o pulso foi detectado contribuem para essa possibilidade.

Atualização: 11h00

É importante destacar que o desvio apontado nos magnetômetros de Boulder às 23h36 não são capazes de avaliar a intensidade do campo eletromagnético induzido nas redes de energia elétrica. Eles apenas indicam um desvio anômalo no campo magnético da estação e que este foi provocado por um pulso eletromagnético repentino provocado por uma explosão solar.

Atualização: 12h51

Para fins de comparação, o pulso eletromagnético registrado teve intensidade de 8 nanoTeslas. A maior tempestade solar já registrada ocorreu em setembro de 1857 e teve a intensidade estimada em 110 nanoTeslas. Essa tempestade ficou conhecida como Evento Carrington.

Aguarde mais informações.

FONTE-APOLO11 http://www.apolo11.com/

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

INVERNO NO HEMISFÉRIO NORTE CONFIRMA PREVISÕES DE RESFRIAMENTO GLOBAL

EUA enfrentam forte tempestade de inverno - Foto AP



Mau tempo forçou cancelamento de mais de 9 mil voos

Uma forte tempestade de inverno, com neve, granizo e fortes ventos, atingiu o centro dos Estados Unidos na terça-feira. O mau tempo criou perigosas condições para muitos americanos que precisavam viajar, e mais de 9 mil voos foram cancelados. Escolas, universidades e estradas também tiveram de ser fechadas em diferentes pontos do país.

Neve cobre carros estacionados em Milwaukee, no Estado americano de Wisconsin

No Texas, os ventos chegaram a uma velocidade de 100 km/h. Na cidade de Chicago, a neve atingiu uma altura de 60 centímetros. Quando vista do espaço, parte considerável dos Estados Unidos aparece coberta por uma espessa cortina branca.

Especialistas alertam, no entanto, que o pior ainda está por vir e as temperaturas devem cair ainda mais no país. Cerca de um terço do país deverá ser afetado pelas severas condições climáticas nos próximos dias, e mais de 30 estados já receberam alertas para novas tempestades.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

IRMANDADE MUÇULMANA SEGUE EXIGINDO A RENUNCIA DE MUBARAK

Cairo - Egito
O porta-voz do grupo Irmandade Muçulmana, Walid Shalabi, por exemplo, já declarou que espera um “governo que tenha interesse em lançar as liberdades públicas, que resolva o problema do desemprego e que não trabalhe em benefício de um só grupo”.

O líder opositor e prêmio Nobel da Paz, Mohamed El Baradei, afirmou, por sua vez, em entrevista à rede France 24, que Mubarak “deve ir embora” e que os protestos “irão continuar com ainda mais intensidade até que o regime de Mubarak caia”.

El Baradei tem apoio das classes mais altas e intelectualizadas e já anunciou sua disposição em assumir um eventual governo provisório, caso Mubarak seja derrubado. Já a Irmandade Muçulmana é um grupo fundamentalista islâmico, ligado ao Hamas palestino, foi posto na clandestinidade por Mubarak, sob pressão do Ocidente e defende a adoção de leis religiosas no Egito, baseadas na sharia (código islâmico, baseado no Corão).

O grupo Irmandade Muçulmana do Egito insistiu nesta quarta-feira em pedir a renúncia do presidente do país, Hosni Mubarak, e avaliou que chega tarde o anúncio de que não buscará sua reeleição no pleito de setembro.

"Está claro que o presidente Mubarak ignora os pedidos do povo e da Irmandade com as outras forças opositoras", assegurou à Agência Efe Gamal Nasser, um porta-voz do grupo opositor.

Mubarak, de 82 anos, anunciou na noite de terça-feira pela primeira vez seus planos com relação ao próximo pleito, em discurso que foi transmitido pela emissora pública de TV, no final de uma jornada de protestos em massa contra seu regime, que começou em 1981.

O governante disse que, "à margem das atuais circunstâncias", não tinha intenção de apresentar-se como candidato presidencial na próxima eleição e afirmou que adotaria uma série de passos para preparar "uma transição em paz".

"Por que Mubarak não disse isso antes?", questionou Nasser, antes de avaliar que o presidente é "muito obstinado" por não entender a mensagem das ruas.

Segundo o porta-voz, a Irmandade Muçulmana seguirá participando das manifestações que se desenvolvem desde 25 de janeiro contra o regime de Mubarak e permanecerá nas ruas até que o atual líder deixe o poder.

"É normal que os protestos continuem até que o presidente se vá, porque este é o primeiro pedido", acrescentou, antes de expressar a confiança em que "este período não vai durar muito".

Nasser se referia ao fechamento dos bancos, suspensão da maioria das atividades trabalhistas, interrupção da internet e atos de pilhagem que ocorreram nos últimos dias.

O porta-voz acrescentou que a coordenação entre a Irmandade e os diferentes grupos opositores continua para iniciar um diálogo com o Exército, único órgão no qual confiam.

Além disso, reiterou o plano anunciado na terça-feira pelo grupo para preparar o Egito pós-Mubarak: o presidente do Tribunal Constitucional, Farouk Sultan, deveria substituir o presidente após sua eventual renúncia.

Depois disto, seriam realizadas eleições parlamentares transparentes e se reformaria a Constituição, antes da convocação do pleito presidencial.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.