segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

SEITA ISLAMITA REIVINDICA ATENTADO EM IGREJA NA NIGÉRIA


A seita islamita Boko Haram, da Nigéria, reivindicou neste domingo a autoria do atentado contra uma igreja de Madalla, perto da capital, Abuja, que matou 29 pessoas. "Somos responsáveis por todos os ataques dos últimos dias, inclusive a bomba na igreja de Madalla", disse, em declarações por telefone, um porta-voz da Boko Haram, Abul Qaqa.

Segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, o ataque foi fruto de um "ódio cego e absurdo". "O atentado contra a igreja na Nigéria, precisamente no dia de Natal, manifesta infelizmente mais uma vez um ódio cego e absurdo que não tem nenhum respeito pela vida humana", disse Lombardi, em declarações à imprensa, na Santa Sé.

Segundo Lombardi, o atentado "busca suscitar e alimentar ainda mais o ódio e a confusão". O aumento das tensões interreligiosas na Nigéria, sexto país do mundo em número de cristãos, inquieta o Vaticano. Em novembro passado, durante sua visita a Benin, o papa Bento XVI insistiu na tradição tolerante do Islã na África e na coexistência pacífica entre muçulmanos e cristãos.






A verdade é a seguinte, o ocidente está assistindo passivamente à queima de cristãos no mundo árabe a bastante tempo sem tomar nenhuma providência por isso.

As nossas autoridades estão lavando as mãos contra tais atos de ódio religioso e isto não está certo. O mundo islâmico fala que lamenta, mas não faz nada para parar com o ódio dos seus radicais, e enquanto isso no mundo inteiro, inclusive no Brasil, as Mesquitas tem toda liberdade de funcionamento e respeito, e em contrapartida eles nos retribuem da forma como estamos vendo. 

Na Arábia Saudita é proibido entrar com uma bíblia sagrada, enquanto que no Brasil eles fazem o que querem com a anuência dos nossos governantes.

Torna-se necessário uma ação conjunta entre a Igreja Católica Romana e os Evangélicos no sentido de pressionar as autoridades no mundo inteiro a restringir os direitos de culto dos muçulmanos fora do mundo  islâmico até que eles controlem o ódio dos seus adeptos contra o cristianismo em seus territórios.

O problema é deles, só que eles mentem, falam que lamentam, mas aprovam o uso da violência contra os outros povos que não professam a mesma fé deles. Como disse o Profeta Isaías: "Esse povo fala de Paz, mas o seu coração está cheio de rapina e maldade".

Nenhum comentário:

Postar um comentário