sábado, 30 de julho de 2011

ESTADOS UNIDOS RUMO AO CALOTE INTERNACIONAL

Câmara dos Representantes rejeita plano 
democrata sobre a dívida
Projeto do democrata Harry Reid foi rejeitado por 246 contra 173 votos
Washington, 30 jul (EFE).- A Câmara de Representantes dos Estados Unidos rejeitou neste sábado a proposta democrata para aumentar o teto da dívida americana, um dia depois que o Senado fez o mesmo com o plano republicano.
O plenário da Câmara, de maioria republicana, rejeitou por 246 contra 173 votos o projeto do líder da maioria no Senado, o democrata Harry Reid, em um novo desacordo nas negociações para evitar que o país entre em moratória na próxima terça-feira.
O plano de Reid, que necessitava de uma maioria de dois terços para obter o apoio da Câmara de Representantes, foi rejeitado depois que na sexta-feira o Senado, de maioria democrata, bloqueou o projeto aprovado pouco antes na outra Casa e que havia sido proposto pelo presidente da Câmara, John Boehner. 

Mas ao contrário do que ocorreu com o plano republicano, a Câmara rejeitou a proposta de Reid antes mesmo que o Senado se pronunciasse sobre ela.
O líder democrata planeja submeter seu projeto a um voto de procedimento no Senado à 1h do horário local do domingo (2h de Brasília). 
Dessa forma, e segundo os prazos estabelecidos pelas regras do Senado, Reid poderia programar um voto final sobre seu plano para as 7h do horário local da segunda-feira (8h de Brasília).
No entanto, parece difícil que os democratas consigam o apoio de sete republicanos para chegar a 60 votos a favor na sessão desta madrugada, que pretende limitar o debate para proceder diretamente à votação final. O líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell, entregou neste sábado uma carta a Reid na qual 43 senadores republicanos se comprometeram a votar contra nesta madrugada.
No debate anterior à votação deste sábado, o republicano pela Califórnia David Dreier se comprometeu a rejeitar o projeto democrata "para que fique claro que este não é o plano que vai conseguir um apoio bipartidário". Reid modificou seu plano para acrescentar elementos propostos por McConnell, e inclui agora uma elevação da dívida em duas fases, até chegar a US$ 2,4 trilhões, além de reduzir o déficit em US$ 2,2 trilhões na próxima década.
Diante desse panorama, Reid e a líder da minoria democrata na Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, apressaram-se em se reunir com o presidente Barack Obama ao final da votação, informou a Casa Branca. EFE llb/mm

Nenhum comentário:

Postar um comentário