terça-feira, 6 de abril de 2010

POLONIA É ELOGIADA PELO CONSELHO DA EUROPA POR NÃO ACEITAR A VACINAÇÃO DA GRIPE SUINA H1N1

O Conselho da Europa elogiou a ministra da Saúde da Polônia Ewa Kopacz por sua estratégia contra o vírus da gripe suína.
O Comitê de Assuntos Sociais, de Saúde e da Família disse que a decisão do Ministério da Saúde para não ordenar as vacinas contra H1N1 estava correta, apesar da pressão das companhias farmacêuticas e organizações de saúde.

Ewa Kopacz (na foto), foi a Paris para explicar a resposta de seu governo para com o vírus da gripe, para a qual a Organização Mundial da Saúde previu (erroneamente) que faria explodir uma grande pandemia em toda a Europa. Ewa disse que a Polônia havia considerado comprar uma vacina anti-gripal, mas os termos propostos pelas empresas farmacêuticas eram inaceitáveis.

A ministra da Saúde da Polónia disse que, graças à estratégia de contra a gripe suína adotada na Polónia, menos casos fatais do vírus foram relatados e que o vírus era menos virulento do que em outros países.

Paul Flynn, que escreveu o relatório do Conselho da Europa, chamou a decisão “um ato de coragem” e salientou que outros países gastaram milhões de euros em vacinas.

Ex-chefe da Cruz Vermelha Francesa Prof. Marc Gentilini disse que a Polônia pode servir como um exemplo de como lidar com a ameaça de uma pandemia de H1N1.

A decisão do Ministério da Saúde de não comprar vacinas contra a gripe foi muito criticada na Polônia durante o surto. Ombudsman Janusz Kochanowski até mesmo ameaçou processar Ewa Kopacz sobre a política do governo.

Fontes:
The News: Poland praised for anti-swine flu strategy

Polônia desconfiada da vacinação contra a gripe suína H1N1

O primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, disse que seu governo não vai comprar vacinas para a gripe suína que não tenham sido devidamente testadas, ou de produtores que não assumirem a responsabilidade por possíveis efeitos colaterais.

Tusk disse a repórteres sexta-feira que os produtores de vacina estavam pressionando os governos a comprarem, mas também exigindo que toda a responsabilidade e compensação por possíveis efeitos colaterais recaissem sobre os governos que comprassem o medicamento.

Ele ressaltou que os poucos casos de gripe suína na Polónia foram leves e nenhuma morte foi relatada.

O conselho da europa investigou a OMS e acusou tacitamente desta ter beneficiado os laboratórios farmacêuticos quando diminuiu o critério para declarar pandemia (nível 6). A ministra da franca foi interrogada e criticada duramente.

Enquanto isto no Brasil o ministério da saúde faz de conta de que nada aconteceu e prossegue sua vacinação. VIVA O BRASIL!

Nenhum comentário:

Postar um comentário