quinta-feira, 27 de agosto de 2009

CÂMARA DOS DEPUTADOS APROVA NA CALADA DA NOITE O ACORDO ENTRE O GOVERNO DO BRASIL E DO VATICANO

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil. O documento prevê a instrução religiosa facultativa nas escolas públicas brasileiras de ensino fundamental e permite que alterações sejam feitas a partir de negociação direta entre o governo brasileiro e o Vaticano.
O Projeto de Decreto Legislativo 1.736/09 aprova o acordo internacional, mas determina que passe pelo Congresso qualquer alteração no documento que acarrete encargos ou compromissos contra o patrimônio nacional.
A votação avançou mediante acordo para determinar regime de urgência para o Projeto de Lei 5598/09, do deputado George Hilton (PP-MG), que regulamenta o direito constitucional de livre exercício de crença e cultos religiosos.
O projeto de decreto legislativo segue agora para análise do Senado.
Estatuto
Entre outros temas, o texto estabelece um compromisso do Brasil em destinar espaços para fins religiosos no plano diretor das cidades. Também fica determinado que a atuação de ministros ordenados e fiéis consagrados não geram vínculo empregatício com as dioceses ou institutos religiosos em que exerçam a atividade religiosa.
O acordo foi assinado pelo Brasil com a Santa Sé em novembro do ano passado. O projeto foi aprovado no último dia 12 na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara.
Isto significa que o ensino religioso católico será obrigado nas escolas públicas, o governo brasileiro, os Estados e os Municipios terão que fazer investimentos no patrimonio da Igreja Católica e na sua conservação; significa que quando as autoridades forem construir um bairro deverá ser separado na planta e doado um terreno para a construção dos templos católicos e por aí afora; enquanto que para os evangélicos é proibido doar terreno e subvencionar as nossa Igrejas. Um disparate jurídico, além do que com o passar do tempo, o povo de Deus sentirá na pele o quanto essa Lei é maligna. SINAIS DOS TEMPOS!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

CASA DE DEUS OU CASA DO BISPO

O Ministério Público de São Paulo acusa Edir Macedo e mais nove integrantes da Igreja Universal de usar o dinheiro de doações de fiéis para fazer negócios e engordar o próprio patrimônio.
Há 32 anos, os templos da Igreja Universal do Reino de Deus recebem ricos e pobres, crédulos e descrentes, doentes, despossuídos e desesperados. A todos a igreja oferece consolo e, muitas vezes, também uma porta de saída para escapar do vício, do crime e da solidão. Mas cobra caro por isso. Baseada numa particular Teologia da Prosperidade, a Universal, fundada e chefiada pelo bispo Edir Macedo, prega que a maior expressão da fé são as oferendas de dinheiro à igreja (e também de carros, casas e cheques pré-datados). A idéia de que, "quanto mais se doa, mais Deus dá de volta", levada ao paroxismo pela eloqüência dos bem treinados pastores da Universal, já fez com que almas crédulas arruinassem suas finanças, seu casamento, sua vida. O Código Penal, contudo, não alcança práticas religiosas. Em linhas gerais, se um brasileiro quiser doar tudo o que tem a qualquer igreja, estará livre para isso. E quem receber a doação também não encontrará empecilhos na legislação. O que não se pode é tapear a lei – e é precisamente isso o que vêm fazendo Macedo e outros nove integrantes da cúpula da Universal, segundo uma peça de acusação elaborada por promotores do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de São Paulo. A partir da denúncia oferecida pelo Gaeco, e aceita pela Justiça na última segunda-feira, Macedo e seu grupo tornaram-se réus em um processo criminal sob as pesadas suspeitas de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.Com base numa investigação de dois anos, o MP afirma que Macedo e seu grupo se converteram em uma organização criminosa ao usar as doações de fiéis para engordar seu próprio patrimônio – no caso do bispo, nada desprezível. Além de dono de 90% da Rede Record, Macedo e a mulher, Ester Eunice Rangel Bezerra (ela, dona dos outros 10% da emissora, segundo aparece no contrato de concessão), têm uma coleção de imóveis que incluem, apurou VEJA, dois apartamentos em condomínios de luxo em Miami, nos Estados Unidos: o primeiro, em nome de Ester, foi comprado em 2006 e está avaliado em 2,1 milhões de dólares. O segundo, registrado em nome do casal, foi adquirido no ano passado e custou mais do que o dobro do primeiro: 4,7 milhões de dólares. Ambos ficam na Collins Avenue, um dos endereços mais sofisticados da cidade.
Segundo a denúncia do MP, além de enganar os fiéis embolsando o dinheiro que deveria ter destinação religiosa, a Universal burla o Fisco ao aproveitar-se de sua imunidade tributária e fazer transações comerciais. A imunidade fiscal assegurada pela Constituição às igrejas baseia-se no princípio de que seu patrimônio, renda e serviços visam à atividade religiosa, e não ao lucro. Quando o dinheiro dos fiéis é usado para comprar empresas e jatinhos – caso dos pastores da Universal, segundo o MP –, a Justiça tem de ser acionada.
Em 1997, uma auditoria da Receita Federal sobre as contas da Universal já havia produzido um relatório defendendo que ela perdesse a imunidade fiscal, uma vez que vinha fazendo uso do benefício para ganhar dinheiro. Dez anos mais tarde, ao analisar a situação de cinco igrejas evangélicas, entre elas a Universal, a mesma Receita chegou a iniciar um estudo para regulamentar o uso das doações de dinheiro originário da fé (livre de tributos) em empreendimentos tributáveis. O projeto não foi adiante. Para o advogado da Universal, Arthur Lavigne, a denúncia do Gaeco apenas reúne tudo o que já foi dito contra a igreja desde 1992. Nesses dezessete anos, diz ele, houve mais de dez processos contra a Universal, e apenas dois estão em andamento, incluindo o que foi aceito pela Justiça na semana passada.As primeiras investigações sobre as atividades de Edir Macedo e seu grupo na Igreja Universal começaram dois anos antes da investida da Receita. Em 1995, depois da divulgação de um vídeo em que Macedo aparecia ensinando pastores a arrancar dinheiro de fiéis, autoridades federais deram início a uma varredura nas atividades da igreja, mas, até agora, poucas irregularidades haviam sido comprovadas. A diferença entre essas investigações anteriores e o trabalho do Gaeco é que, desta vez, os promotores conseguiram mapear o caminho do dinheiro, desde as doações dos fiéis até a compra de duas emissoras de TV, um prédio e um jatinho modelo Cessna, por 2,5 milhões de reais.
Entre 2001 e 2008, a Universal, segundo os promotores, amealhou 8 bilhões de reais de seus cerca de 8 milhões de seguidores. Metade dessa dinheirama foi parar em contas bancárias da igreja por meio de 4 015 depósitos em espécie – direto das sacolinhas dos dízimos. A outra metade chegou, principalmente, por meio de transferências eletrônicas provenientes de filiais da igreja espalhadas pelo país. A partir daí, o esquema funcionava da seguinte maneira, de acordo com a acusação: a maior parte do dinheiro era repassada, a título de "pagamentos", para empresas de fachada controladas por integrantes do grupo, a Cremo Empreendimentos e a Unimetro Empreendimentos. Ambas movimentaram, entre 2004 e 2005, mais de 70 milhões de reais, ainda que não tenham oferecido no período nenhum serviço ou produto, segundo atesta a Secretaria da Fazenda de São Paulo. Da Cremo e da Unimetro, o dinheiro dos fiéis era enviado para empresas sediadas em paraísos fiscais: a Investholding, nas Ilhas Cayman, e a CableInvest, nas Ilhas do Canal. De lá, retornava ao Brasil disfarçado de empréstimos para pessoas ligadas à Universal, que usavam os valores para transações nada religiosas. Apesar do emaranhado trajeto percorrido pelo dinheiro, ele, na verdade, nunca saiu das mãos da cúpula da Universal. A Cremo é de propriedade da Unimetro – que, por sua vez, pertence às duas empresas sediadas no exterior. No Brasil, a Investholding e a Cableinvest são representadas por Alba Maria da Costa e Osvaldo Sciorilli, executivos da Universal, ligados a diversas empresas do grupo e réus no processo. Assim como o chefe, Alba e também Maurício Albuquerque e Silva, ex-diretor da Cremo e da Unimetro, são proprietários de imóveis em Miami.
O Gaeco sustenta que foi esse o esquema usado pela igreja para comprar, por exemplo, a TV Record do Rio de Janeiro e a TV Itajaí, de Santa Catarina. Ao todo, o império de comunicação da Universal reúne 23 emissoras de TV, 42 emissoras de rádio e várias outras empresas. O do bispo prospera na mesma medida. Em 2007, ele se esmerava na construção de uma casa de 2 000 metros quadrados em Campos do Jordão (SP), no valor de 6 milhões de reais. Naquele tempo, já era proprietário de outra casa na mesma cidade, comprada onze anos antes por 600 000 dólares. Somem-se a isso os imóveis de Miami e não restará dúvida de que Macedo é um abençoado. Resta saber se à luz da lei tanta prosperidade também poderá ser comemorada.
Jose Patricio/AE e Marcos Fernades

terça-feira, 25 de agosto de 2009

ACORDO CRIMINOSO ENTRE O GOVERNO DO BRASIL E O VATICANO É APROVADO PELA CÂMARA DOS DEPUTADOS

Apesar da oposição de igrejas cristãs tradicionais, igrejas evangélicas e grupos ateus, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara aprovou parecer recomendando a ratificação da Concordata firmada no final do ano passado entre o Brasil e o Vaticano. A proposta vem tramitando em regime de urgência, sob forte pressão da Igreja Católica, e, graças a um acordo de lideranças, poderá ser submetida à votação de plenário nos próximos dias. Se for aprovada, seguirá para o Senado. Envolvendo temas que sempre deram margem a polêmicas, como ensino religioso nas escolas públicas de um Estado laico, os 20 artigos da Concordata assinada pelo presidente Lula e pelo papa Bento XVI foram negociados durante um ano. Sob a justificativa de reunir leis esparsas e dar forma jurídica a um intercâmbio que já existia, a iniciativa partiu do Vaticano. Durante as negociações, o Itamaraty recusou as propostas de oficialização de feriados católicos e permissão para a entrada de missionários em áreas indígenas, mas acatou as demais solicitações do Vaticano. Além da questão do ensino religioso, três pontos do acordo merecem destaque. O primeiro é a concessão de isenção fiscal para rendas e patrimônio de pessoas jurídicas eclesiásticas. O segundo é a manutenção, com recursos do Estado brasileiro, do patrimônio cultural da Igreja Católica, como prédios, acervos e bibliotecas. O terceiro é isenção para a Igreja Católica de cumprir as obrigações impostas pelas leis trabalhistas brasileiras. Independentemente de suas implicações morais, essas três concessões ao Vaticano esbarram em problemas jurídicos e são incompatíveis com o Estado laico que nossas Constituições consagram desde a proclamação da República, no final do século 19. A concessão de isenção fiscal para pessoas jurídicas eclesiásticas, por exemplo, pode abrir um perigoso precedente, pois as demais igrejas sentir-se-ão estimuladas a invocar o princípio da isonomia para exigir o mesmo benefício. A Constituição, na alínea b do inciso VI do artigo 150, proíbe a União de instituir impostos sobre "templos de qualquer culto". Tributaristas alegam que o texto da Concordata é impreciso, abrindo campo para a ampliação do benefício, que poderia ser aplicado não só aos templos, mas a todos os negócios da Igreja Católica, que é dona de editoras, rádios e escolas. Além disso, que medidas legais poderão ser tomadas pelo Estado brasileiro no caso de mau uso da isenção fiscal de receitas e ativos da Igreja Católica?No que se refere à manutenção do patrimônio cultural da Igreja Católica com dinheiro dos contribuintes - muitos dos quais, diga-se, são ateus ou seguidores de outras religiões -, os problemas jurídicos são ainda mais graves. O artigo 19 da Constituição é preciso ao determinar que o Estado não pode "subvencionar igrejas". E, mesmo que pudesse, faz sentido destinar recursos públicos para o custeio de bens que, segundo a Concordata, permanecerão sob gestão, custódia e salvaguarda de ordens religiosas? A Igreja Católica terá de se submeter à fiscalização dos Tribunais de Contas, como a lei brasileira prevê, ou gozará de autonomia, valendo-se da condição ambígua de ser formalmente subordinada ao Estado do Vaticano? Por fim, ao eximir a Igreja Católica de obrigações trabalhistas, classificando a relação jurídica de padres e freiras como "vínculo não empregatício", sob a justificativa de que eles exercem uma função "peculiar", de "caráter apostólico, litúrgico e catequético", a Concordata comete dois pecados jurídicos. Além de dar tratamento privilegiado à Igreja Católica enquanto empregadora, violando o princípio da igualdade das partes perante a lei, ela não pode passar por cima dos dispositivos do artigo 5º da Constituição que asseguram o livre acesso à Justiça e determinam que "a lei não excluirá da apreciação do Judiciário lesão ou ameaça ao direito". Como é "cláusula pétrea", o artigo não pode ser revogado. Evidentemente, as chancelarias do Brasil e do Vaticano estavam conscientes desses problemas quando negociaram a Concordata. Talvez tenha sido por esse motivo que o texto tenha ficado muito retórico. A retórica parece ter sido a estratégia para tentar contornar os problemas jurídicos mais gritantes do acordo firmado por Lula e Bento XVI. Fonte: Estadão.
COMENTÁRIO: ''Lei semelhante a esta foi aplicada por Adolf Hitler na Alemanha Nazista e o resultado foi a criação de cidadãos de segunda classe, ou seja, os judeus foram discriminados e depois houve a tentativa de aniquilação da raça judaica por Hitler que inclusive aplicou a Lei com o aval da Igreja católica que fez vistas grossas ao genocídio dos judeus. O Faraó do Egito criou Lei semelhante para aniquilar o povo de Israel. Agora essa Lei amaldiçoada irá fazer com que se crie cidadãos de segunda classe no Brasil, os evangélicos, isto é, os nossos filhos nunca poderão ser juizes, promotores e alcançar altos postos se não tiver a bênção do catolicismo romano, isto não é novidade pois todas as vezes que eles impõem suas leis e diretrizes eles criam uma ditadura religiosa a todos aqueles que não seguem os mandamentos do papa, e ao final teremos que ver nossos impostos serem aplicados na manutenção da idolatria em todo o Brasil, e a idolatria todos nos sabemos é culto aos demonios. VATE RETRO SATANÁZ!''

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

VALE A PENA OLHAR POIS VOCE NÃO ESTARÁ AQUI NO ANO 2287 PARA VER DE NOVO

O Planetario Internacional de Vancouver, da British Columbia - Canadá, calculou a precisão em que Marte estará orbitando perto da terra. Será no dia 27 de agosto de 2009.
Todavia, o mais interessante de tudo é que isto estava previsto em um código Maya, encontrado na piramide ao lado do Observatorio Estrelar em Palenque, Chiapas -México.
Com este cálculo matemático Maya, agora os Mayas estão sendo vistos como os gregos da America, e orgulho da Guatemala.
Pelo menos, quatro ou cinco gerações da humanidade não voltará a ver este fenomeno natural, e poucas pessoas sabem até o momento, embora tenha sido noticiado em 11 de maio de 2009.
Duas Luas no Ceu
No dia 27 de Agosto, a meia noite e meia, olhe para o ceu,
O planeta Marte será a estrela mais brilhante do ceu, e será tao grande quanto a lua cheia, e estará a 55,75 milhões de kilometros da terra.
Não perca!!
Será como se a terra tivesse duas luas, e este acontecimento só se produzirá no ano de 2287.
Divulgue esta informação, pois nem
todos terão a oportunidade de rever.

domingo, 23 de agosto de 2009

MURO DAS LAMENTAÇÕES

"Louvai ao Eterno. Cantai ao Eterno um cântico novo, e o seu louvor na congregação dos santos. Alegre-se Israel naquele que o fez, regozijem-se os filhos de Sião no seu Rei. Louvem o seu nome com danças; cantem-lhe o seu louvor com tamborim e harpa.Porque o Eterno se agrada do seu povo; ornará os mansos com a salvação.Exultem os santos na glória; alegrem-se nas suas camas. Estejam na sua garganta os altos louvores de D-us, e espada de dois fios nas suas mãos;Para tomarem vingança dos gentios, e darem repreensões aos povos;Para prenderem os seus reis com cadeias, e os seus nobres com grilhões de ferro;Para fazerem neles o juízo escrito; esta será a glória de todos os santos. Louvai ao Eterno." (Salmo 149)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Mahdi ou Anticristo?

Além dos empenhos do Irã e da Rússia na América do Sul na Venezuela, os russos também estiveram ocupados no Oriente Médio. De acordo com o Jerusalém Post, o Presidente israelita Shimon Perez falou com o Presidente russo Dmitry Medvedev na terça-feira que se o Irã adquirir uma bomba nuclear, isto seria o mesmo como se Israel estivesse em um campo de concentração voador "da morte". Perez foi basicamente à Rússia para pedir que Medvedev pare de fornecer armas russas para países como o Irã e Síria,e grupos terroristas como Hamas e Hizbullah. Porém e basicamente, a resposta de Medvedev era que o governo russo iria pensar no caso.

Para outros assuntos até mesmo mais interessantes, o Al Arabiya informou na segunda-feira que o Ayatollah Khamenei do Irã, estava chamando para que as nações vizinhas muçulmanas como, a "Turquia, Iraque, Líbano, Paquistão e Afeganistão" para que se unissem militarmente de forma que eles pudessem "ter forças suficientes para deter os que podem impedir a vinda do Mahdi, contra os Estados Unidos e Israel”. A convicção deles o sobre o Mahdi é muito basicamente que aquele Mahdi deve ser um tipo de anticristo descrito na Bíblia cristã, um líder mundial com poder sobrenatural que comandará uma nova geração de fieis na fé islâmica.

Vários cristãos que escreveram livros de profecia da Bíblia mencionam nos seus livros, que os capítulos 38-39 de Ezequiel 38-39, que são capítulos ricos em simbolismo e que relata sobre Gog e Magog, Rússia, Irã, Turquia, Iraque, Líbano, Paquistão, Afeganistão, Líbia e outros países, contudo a ser revelado posteriormente, pode muito bem ser algumas das nações às quais Ezequiel 38-39 menciona quando diz sobre Gog e Magog. Gog é um líder que organiza uma confederação de nações (Magog) que virá contra Israel.
Haverá algum tipo paz que será feito (Ezequiel 38:14 - Daniel 9:27 - I Tess.5:3), e então o resto do capítulo menciona o ataque desta confederação a Israel, quando um grande terremoto aparece em cena, e então a confederação aparece lutando entre si mesmos e Deus traz um julgamento na forma de grande pestilência, uma grande matança e aparentemente, algum tipo de desastre cósmico. No capítulo 39 dá detalhes sobre o esforço de limpeza total depois desta guerra, que e a restauração da fé no Deus de Israel nas nações. Fonte: http://www.apologiajudaica.blogspot.com/

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

FIZERAM DA CASA DE MEU PAI COVIL DE SALTEADORES

Quase todo mundo sabe que 90% das igrejas evangélicas que pipocam por toda parte são abertas para ser um negócio e meio de vida para seus "pastores" e famílias. Todas elas acabam prestando algum apoio psicológico, material e até espiritual aos carentes de todos os tipos; e isso é positivo e benemerente.
Mas o problema é que a imensa maioria de pretensos missionários inaugura suas igrejas pensando em parar de trabalhar e a viver de desviar dízimos e ofertas. Apenas uma minoria se empenha por motivação espiritual autêntica e desinteressada.
A grande maioria desses picaretas começa da seguinte forma: alugam um salão ou até garagem em alguma periferia carente, compram terno e Bíblia, chamam familiares para serem diáconos, missionárias e até bispas (!), e, como bons vendedores, fixam sua marca e começam a pregar para atrair fiéis. Muitos exibem diplomas fajutos de teologia e adoram usar anéis de formatura, mesmo que falsos.
É comum usarem artifícios para atrair mais seguidores e fama. Um deles é o de pagarem para indivíduos testemunharem que foram curados de doenças ou que receberam outros milagres. Sendo alguns desses verdadeiros atores, que em pleno culto deixam suas muletas caírem ou levantam-se de cadeiras de rodas, para o espanto e regozijo de todos os fiéis.
Outro artifício é o de levarem diante dos seus crentes supostos abençoados pelo Senhor; os quais declaram publicamente estarem doando carros, imóveis e gordas quantias para "Jesus". Ora, quem não fica compelido a doar alguns trocados? Bancar o mão-de-vaca com Jesus? Jamais!
Com o crescimento do negócio, tais "pastores" passam a justificar perante seus fiéis, seus carros e casas luxuosas como "bênçãos dos céus" ou "dádivas do Senhor", e todos alegremente vão dizendo amém a isso. Segue-se, então, a consolidação do negócio, pelo envolvimento com empresários e políticos convenientes. E daí por diante, o céu é o limite em termos de desvios, enriquecimento e estelionato em massa; passando por dólares dentro de Bíblias, patrocínio por jogadores famosos, lavagem de dinheiro criminoso e até haras de cavalos árabes na Califórnia.
Visite uma dessas grandes griffes evangélicas e comprove a sensação de se estar num shopping center da fé, com incisivos pedidos de ofertas, venda aberta de CDs, livros, excursões organizadas, vagas em pousadas de "irmãos", TV a cabo, revistas, cartões de crédito, DVDs e outras coisas mais.
O problema é que toda essa riqueza desviada deveria estar sendo canalizada para ações sociais de todo tipo aos carentes. Aí sim as igrejas estariam cumprindo seu papel, e a face de nossa miséria poderia ser hoje muito melhor; justificando a atual isenção de tributos com que essas igrejas são agraciadas.
Diante da realidade escabrosa, essa isenção deve ser cancelada e a mão do Estado deve apropriar-se desses recursos, secando assim o "mar de bênçãos" dos pilantras da fé, fechando em conseqüência, milhares de templos-empresa por todo o Brasil, à despeito da rica e corrupta bancada evangélica no Congresso.
Publicado em 17/08/2009 pelo(a) wiki repórter Cesar, São Paulo-SP.
’O pior de tudo é que este tipo de comentário pipocou por todos os lados diante da imensidão de escândalos que os falsos profetas produzem. Os pastores de bem, homens de Deus estão sendo desacatados por gente ignorante em toda a parte pagando um preço caríssimo por culpa de algumas Igrejas que estão estabelecidas no Brasil e no mundo. Estão usando os erros dos falsos pastores como chicote para bater nos homens de Deus que tenho certeza estão espalhados pelo Brasil afora e até por todo o mundo. Até mesmo membros da Igreja mais corrupta do mundo, o romanismo, estão se sentindo no direito de nos agredir, eu próprio já sofri tal agressão, mas reagi como homem de Deus e pisei na cabeça de Satanáz’’. O grifo é meu, (Pastor Jorge Pires).

domingo, 16 de agosto de 2009

COMO SURGIU A FESTA DA CHANUKKAH

"Quando os gregos entraram no Templo, profanaram todas as reservas de óleo dali, os Hasmoneus, após a vitória sobre os helenistas fizeram uma busca no Templo e encontraram um único cântaro pequeno de óleo puro inviolado, ainda com o selo do Cohen HaGadol (Sumo Sacerdote).
Normalmente esta quantidade seria suficiente para iluminar a menorah por apenas um dia, mas um milagre aconteceu e o óleo durou oito dias (mantendo a menorah acesa por todos esses dias). Um milagre ocorrera ali. Um ano depois, esses oito dias passaram a ser comemorados como festividade, em que se recita o Halel e oração de graças.” (Shabat 21b)
Agradecemos ao Eterno, por este maravilhoso milagre e oramos para que todo Israel seja iluminado pela luz de Yeshua!! Fonte: http://www.yeshuachai.org/

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

UM DOS MAIORES CRIMES DA HISTÓRIA

O presente texto foi transcrito da obra TESTEMUNHOS HISTÓRICOS DAS PROFECIAS DE DANIEL, de Araceli S de Melo, páginas 437 e 438 e retrata um dos maiores e mais horrendos crimes cometidos contra milhares de inocentes pelo mais cruel e terrível poder que como nenhum outro em qualquer época manchou com sangue as páginas da história. Sirva ele de reflexão para muitos para que, olhando para o passado, antevejam o que este mesmo poder fará no futuro. Este crime ficou conhecido mundialmente como “A NOITE DE SÃO BARTOLOMEU”. Eis o texto: “A fatídica noite francesa de São Bartolomeu, de 24 de agosto de 1572, tem uma diabolesca história de sangue a contar ao mundo. Seus protagonistas, o papa Gregório XIII, o fraco rei Carlos IX, a famigerada e fanática Catarina de Medicis, o impostor duque de Guise e o orgulhoso clero papal, saciaram-se de sangue e de carnagem naquela negra noite que passou como execrável para a história da França católica. Posto que denominada pelo nome dum santo, um apóstolo de Cristo, para não dizer de Roma”.
“Ao sinal convencional e fatal do sino, nas grandes cidades da França, tigres ferozes e esfaimados se precipitaram sobre suas vítimas indefesas, genuínos cristãos, chamados santos nas profecias de Deus. É impossível descrever o crime papal daquela trágica noite que cobriu de luto a França inteira. O país foi banhado em sangue inocente. Coligny, o bravo almirante cristão, chefe dos Huguenotes franceses, alvo principal daqueles esbirros, foi morto em seu aposento e seu corpo foi jogado pela janela sobre as lanças da soldadesca embaixo. A terrível carnificina durou três dias e três noites e os mortos atingiram a cifra de dezenas de milhares em toda a malfadada e enganada França. Este sucesso constituiu um dos maiores e mais abomináveis crimes da História, cujos protagonistas pagarão caro um dia ao acertarem suas contas com Deus no tribunal do juízo divino”.
“A noite sangrenta de São Bartolomeu foi uma vitória sinistra do Papado, cujo representante, então Gregório III, derramou lágrimas de júbilo e triunfou como principal responsável pela monstruosa matança. Fez cantar um “Te Deum” e, para perpetuar o fúnebre “auto de fé”, ordenou a cunhagem duma medalha que por certo há de estar ainda no museu do Vaticano. De um lado aparece o seu busto com a seguinte inscrição: GREGORIUS, XIII. PONT. MAX. AN. I. Do outro lado lê-se: GVONOTTORVM STRAGES 1572. Aqui está uma espécie de cristianismo e um clero que entoa a Deus um cântico de ação de graças por ter banhado um país em sangue pela fria matança de milhares de milhares de Seus fiéis filhos inocentes”!
Por mais impossível e improvável que possa parecer a intolerância religiosa voltará a assombrar um mundo brevemente. As profecias sagradas não podem falhar ou mentir. Quando o papado tiver seu antigo poder restaurado na aliança com os Estados Unidos da América e a União Européia, aqueles que lhes são contrários na fé religiosa serão submetidos à mais cruel e violenta perseguição já havida em todos os séculos da história humana.
Os novos protagonistas não mais serão Gregório XIII, mas Bento XVI. Não a França do Rei Carlos e da cruel Catarina de Medicis, mas a América protestante de Barack Obama. O falso cristianismo, ou o protestantismo apostatado, chamado pela Bíblia de “falso profeta”, aliado ao romanismo pagão e idólatra de Bento XVI, denominado “a besta” e o movimento espiritualista que a Bíblia Sagrada chama “o dragão”, unidos em princípios comuns deflagrarão esta perseguição aos que serão por eles chamados, como no passado, HEREGES, mas que as Sagradas Escrituras denominam “santos do Altíssimo”, aqueles que “guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho, a paciência e a fé de Jesus” (Daniel 7:25 e Apocalipse 12:17, 13:10 e 14:12).
Tags: huguenotes, S. Bartolomeu

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

OS CRIMES DA IGREJA CATOLICA E AS LOUCURAS DOS FALSOS PROFETAS


Poucas instituições no mundo ao longo da história são responsáveis por tantos crimes e acobertamentos de crimes como a Santa Igreja Católica. O farto cardápio inclui desde mortes na fogueira a pedofilia. Para o imaginário popular, a Igreja é imaculada e se situa num patamar de santidade, portanto, imune aos pecados temporais. Isso se deve em parte à imagem que a instituição forjou ao longo dos tempos, algumas vezes cobrando preço de sangue e traumas irrecuperáveis. Vamos aos fatos. Com a invenção das famigeradas cruzadas, os cavaleiros da fé saquearam, torturaram e mataram milhares de seres humanos. Eliminaram os homens do mau para impor a Santa Verdade. Em 1099, por exemplo, ao entrar em Jerusalém para expulsar os muçulmanos, os líderes da cruzada, massacraram 70 mil pessoas. O rei Luiz, da França, tido como um santo católico tinha uma prática mais sutil: levava os blasfemadores a pelourinhos e os matava com ferros em brasas, que transpassavam suas línguas. Segundo ele, esses não voltariam a blasfemar. Em 1231, a Igreja fundou a sua máquina de extermínio: a Santa Inquisição. Por ela passaram quase 1 milhão de pessoas, essencialmente hereges, judeus, muçulmanos e “bruxos”. Precursor de Hitler, o religioso Diego Rodrigues Lucero queimou vivos 107 judeus convertidos ao cristianismo. Isso sem falar na cobrança de indulgências, loteamento do céu e aplicação de preços monetários para que os fiéis chegassem ao Paraíso. Tudo em nome de Deus. Na Idade Média, a Igreja havia proibido que mulheres cantassem no coral das igrejas. Para não ficar sem as necessárias vozes sopranos, os representantes de Deus encontraram uma solução ungida: castrar jovens meninos cuja voz tenha sido considerada bela. Assim, nos corais da Santa Igreja não faltariam nunca os sopranos e contraltos. Mas não é só sob o manto do passado que se esconde a ficha criminal da Santa Sé. Adaptada ao presente, o único senão é a proibição de mandar gente para a fogueira. Duas modalidades veneradas por padres atualmente são a pedofilia e o abuso sexual de mulheres. Só nos Estados Unidos, recentemente foi constatado que 1,2 mil sacerdotes teriam abusado de mais de 4 mil crianças. O lamaçal que envolveu 161 dioceses, desmoronou algumas delas, que tiveram que ser fechadas para pagar indenizações às vítimas. O abuso à mulheres também é comum nas paróquias mundiais. A socióloga da religião, Regina Soares Juskewicz lançou um pouco de luz nas trevas paroquiais. Num aprofundado estudo, ela analisou 21 casos de abusos dessa natureza e constatou que a prioridade da Igreja nesse tipo de crime é acobertá-lo a qualquer custo. Há até um decálogo que ensina os líderes a agir em face de abusos sexuais envolvendo padres. Nele inclui subornar a vítima em troca do silêncio, desqualificação pública da vítima e exaltação das qualidades do agressor, como bom prestador de serviços à comunidade. No último mandamento, a Igreja se posiciona do lado do agressor e faz todos os esforços para que o crime seja jogado no mar do esquecimento. A Igreja não se importa de conviver com um rosário de pecados. O importante é não gerar escândalo. Em outras palavras: peque, mas esconda a sete chaves. O problema é que abuso de mulheres e crianças não é simplesmente pecado contra as leis divinas. É crime, sujeito a punição terrena, que inclui prisão e indenização da vítima. Ainda vivo João Paulo II pediu perdão pelos “erros” da Igreja Católica ao longo dos tempos. Pronto. Num ato, a Santa Sé se redimiu para sempre com os milhões de injustiçados em séculos de história. (Anderson Alcântara). Agora eles acusam as Igrejas evangélicas que estão praticando os mesmos delitos que eles cometeram na idade média, delitos diga-se de passagem bem menores do que aqueles que os supostos sucessores de Pedro cometeram. Eu até hoje não vi nenhum caso de extorsão e assassinato dentro de Igrejas Evangélicas para forçar o povo a contribuir. O povo da o que tem e o que não tem para esses falsos pastores da mesma forma que deram suas ofertas e seus dizimos para os supostos sucessores de Pedro na idade média sob pena de morte e continuam dando porque são crédulos e não conhecem a Palavra do Eterno Deus de Israel. Algumas Igrejas Evangelicas da atualidade estão cometendo o mesmo erro que os romanistas cometeram na idade média porque creem que o povo é crédulo e imbecil. Uma coisa é certa, a Igreja Católica não tem moral para jogar pedras em ninguém pois correm o risco das pedras ricochetearem e baterem em suas próprias cabeças. AFINAL ELES TEM O MESMO ESPÍRITO, O Espírito do erro que opera nos filhos da desobediencia para que creiam a mentira.

MAIS ESCANDALOS NO EVANGELHO

A Justiça paulista acatou denúncia apresentada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo com base em investigação feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contra o bispo Edir Macedo e mais nove integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus, acusados dos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.Além de Edir Macedo, foi instaurada ação criminal contra os bispos Alba Maria da Costa, Edilson da Conceição Gonzales, Honorilton Gonçalves da Costa, Jerônimo Alves Ferreira, João Batista Ramos da Silva, João Luís Dutra Leite, Maurício Albuquerque e Silva, Osvaldo Scriollli e Veríssimo de Jesus.Segundo o levantamento feito pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, as fraudes vinham sendo praticadas há pelo menos dez anos. Os acusados usavam dinheiro de doações dos fiéis para benefício próprio. A investigação constatou que a movimentação chega a R$ 1,4 bilhão por ano em dízimos coletados em 4,5 mil templos em 1,5 mil cidades do país. Só no período de 2003 a 2008, os depósitos para a Igreja Universal do Reino de Deus alcançaram R$ 3,9 bilhões.Segundo explicação do Ministério Público, os líderes religiosos consumiam grande parte das pregações com a defesa da coleta dos dízimos, argumentando que os recursos seriam necessários para a compra de óleos santos de Israel, para o financiamento de novos templos e para custeio das transmissões de cultos e mensagens religiosas em emissoras de rádio e televisão.Para facilitar a arrecadação, eram recebidos valores por meio de cheques, além de doações de bens como carros. Entre as irregularidades constatadas na investigação estão a abertura de empresas de fachada e o envio ilegal de dinheiro para o exterior. Os acusados também procuraram se favorecer da imunidade tributária concedida pela Constituição Federal aos templos religiosos. Eles investiam os valores destinados à Igreja Universal, sobre o qual não incidia a cobrança tributária, na aquisição de bens particulares entre os quais imóveis, veículos e joias.Os recursos obtidos por meio de doações eram aplicados em duas empresas de fachada: a Unimetro Empreendimentos S/A e a Cremo Empreendimentos S/A., ambas encarregadas do esquema de envio de dinheiro para o exterior. As remessas iam para contas nos chamados paraísos fiscais, em que os favorecidos têm vantagens como sigilo e baixo custo de movimentação.Depois esses valores retornavam ao país na forma de contratos que permitiam a legalização do uso do dinheiro na compra de empresas de comunicação. Em 2004 e 2005, essas empresas movimentaram em torno de R$ 71 milhões.De acordo com a assessoria de imprensa da Igreja Universal, por enquanto, os dirigentes da instituição não vão se pronunciar sobre o recebimento da denúncia pela Justiça de São Paulo. As informações são da Agência Brasil

domingo, 9 de agosto de 2009

O AMOR AO MUNDO


“Não ameis o mundo, nem as coisas que no mundo há; pois se alguém amar o mundo o amor do Pai não está nele”.
Eu não gosto do mundo...
Eu gosto da vida!
Não gosto do mundo porque não gosto de vaidade, inveja, mentira, cobiça, arrogância, culto a aparência, ao dinheiro, à estética, ao “sucesso”, e, sobretudo, não gosto de como os homens tratam os homens segundo os modos e costumes do mundo.
Para mim o mundo é burrice feita único modo de existir; e isto segundo a gestão do diabo, que é o animador do mundo; em quem, aliás, o mundo jaz.
Gosto da vida porque ela é vida; porque ela é entrega...; é vontade do bem...; é gerar com esperança...; é comer paz e beber serenidade...
Sim, gosto da vida porque ela é natureza, é variedade de criaturas, é grandiosidade tecida por Deus em bilhões de anos...
Gosto da vida porque nela nada morre nem quando morre...
Gosto da vida porque nela não há mal; há apenas seqüência de vida se dando pela vida... Sim, pois viver é também saber que a vida se faz de entrega e sacrifício; pois, quem viverá depois de um ser vivo que, existindo..., não se deu por nada e por ninguém?...
Vivo no mundo; estou no mundo; minha missão é nele.
No mundo sou chamado a viver como sou: uma luz; sou chamado a manifestar o que há em mim: sabor de sal; sou enviado a viver entre lobos sem perder a pureza e a simplicidade dos cordeiros sem culpa...
Entretanto, o mundo não consegue me dizer nada além de sua loucura e de sua morte.
De fato eu não amo o mundo e nem as coisas que neles há...
Quando olho para trás vejo que o mundo me encantou na adolescência...
Então, aos 18 anos, encontrei Jesus mesmo; e vi o mundo; e percebi como ele todo jaz no maligno... E como eu encontrava o maligno todos os dias, de muitos modos e formas, minha convicção sobre “o que era o mundo” apenas aumentou com o tempo...
Aí vieram os anos 90 e o mundo pela primeira vez em minha vida adulta e responsável me encantou..., me enfeitiçou... e me derrubou de mim mesmo...
Sim, a verdade de minha alma me manda dizer que entre 1992 e 1998 minha alma surtou de impressões “boas” sobre o mundo [na mesma medida em que a “igreja” havia ficado “pior que mundo”...]; e, assim, julguei que eu tinha sido radical demais com o mundo.
Pobre mundo!... — pensei enganado.
Todavia, como Deus é bom, me ama, e, de alguma forma misteriosa, gosta de mim... — Ele mesmo derrubou minhas ilusões em tempo, antes que o mundo entrasse mais fundo em meu ser...
O mundo é sedução na direção de tudo o que mata e faz sofrer; mas as pessoas entram assim mesmo...; pois, as promessas de prazer, de poder, de liberdade, de largueza, de abertura, de experiências, de maturidades, de inesgotabilidade de tudo... — é otariamente crida...
Sim, é crida; e isto ainda que o pavimento do caminho do mundo seja feito de maldade, engano, mentira, ciúmes, invejas, tramas, egoísmo, e uma total insatisfação, mas que ganha o nome de ambição, a qual, aliás, passou a ser virtude no mundo dos negócios e em qualquer que seja o projeto de “sucesso”.
Sinceramente, não me entenda mal, mas preciso dizer que quem quer que ame o mundo... ou está completamente cego, ou, então, se fez filho do maligno sem sentir...; e, agora, serve ao diabo pensando que persegue um melhor modo de viver ou de marcar sua passagem pela vida.
Assim, amo esta manhã de sol...; amo a luz que é doce...; amo a boa comida e a boa bebida...; amo minha mulher, meus filhos, e, hoje, agora, neste instante, amo minha filha e meu netinho que estão aqui... enquanto esperam o igualmente amado Fonseca fazer uma carne para gente comer... Amo a criança que acabou de me ser trazida pelo pai, que trabalha aqui comigo, e que tem a mim e à Adriana como padrinhos... Amo o que seja vida, o que seja natureza, o que seja criação de Deus.
O mais, sinceramente, não me diz mais nada, não me seduz em nada, me cansa e me nauseia...; pois, sinceramente, há quem goste, mas, no meu sentir, o mundo é uma droga de inferno que entra nas veias, vicia e mata.
Pense nisto!...

Caio
9 de agosto de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

DEUS, AS RIQUEZAS E OS FALSOS PROFETAS


Investigação do Senado americano procura saber o que há no evangelho da prosperidade dos televangelistas. A mensagem reluzia na sala de estar de Cindy Fleenor a cada noite: Seja fiel no modo como você vive e no dinheiro que você dá, diziam os pregadores de TV , e Deus lhe dará chuvas de riquezas materiais. Foi assim que a contabilista de 53 anos da cidade de Tampa, Flórida, se comprometeu a dar anualmente 500 dólares para Joyce Meyer, a evangelista cuja pregação franca sobre sua recuperação do abuso sexual na infância é cheia de inspiração. Ela preencheu cheques para o evangelista exibicionista Benny Hinn e uma pregadora local bem popular, Paula White.Só que as bênçãos não vieram. Fleenor acabou pedindo dinheiro emprestado de amigos e empresas de empréstimo só para comprar comida. No início, ela cria na explicação que era dada na televisão: A fé dela não era forte o suficiente."Eu queria crer que Deus queria fazer algo grande comigo, do jeito que ele estava fazendo com eles", disse ela. "Estou revoltada e amargurada com isso. Hoje, praticamente não vejo ninguém mais na TV".Todos os três grupos que Fleenor sustentava com ofertas estão entre os seis grandes ministérios evangélicos de televisão sob inspeção de um senador que está fazendo perguntas sobre os gastos extravagantes dos evangelistas e possíveis abusos da condição deles de isentos do imposto de renda .A investigação do Senador Charles Grassley de Iowa, o mais importante republicano no Comitê de Finanças do Senado, trouxe nova inspeção na convicção fundamental que gera milhões de dólares e enche igrejas de Atlanta a Los Angeles: o "Evangelho da Prosperidade" , ou a noção de que Deus quer abençoar com riquezas terrenas os que são fiéis.Todos os seis ministérios sob investigação pregam o evangelho da prosperidade em graus variados.Os proponentes chamam-no de uma mensagem de esperança biblicamente sã. Outros dizem que é uma distorção que enriquece os evangelistas e rouba pessoas vulneráveis. Eles dizem que o evangelho da prosperidade se desenvolveu de uma mentalidade "é totalmente certo fazer dinheiro, é certo o pastor andar de carro de luxo, viver em mansão à beira da praia e viajar de jatinho particular"."Mais e mais pessoas estão desesperadas e querem se agarrar a qualquer coisa que aliviará seu sofrimento ou crise financeira", disse Michael Palmer, reitor da Faculdade de Teologia da Universidade Regent, fundada por Pat Robertson. "É um problema crescente".O movimento moderno de prosperidade tem origem, em grande parte, nos ensinos do evangelista Oral Roberts. Os discípulos de Roberts têm espalhado sua teologia e vocabulário (Roberts e outros evangelistas, tais como Meyer, chamam seus doadores de "parceiros") . E vários pregadores populares de prosperidade, inclusive alguns que estão agora sob investigação, trabalharam na administração da Universidade Oral Roberts.Grassley está solicitando dos ministérios registros financeiros sobre salários, gastos, jatinhos particulares e outras vantagens financeiras. A investigação junto com um escândalo financeiro na Universidade Oral Roberts que obrigou o filho e herdeiro de Roberts, Richard, a renunciar está levando as pessoas a cogitarem se o evangelho da prosperidade está enfrentando sua hora de prestar contas. Embora poucos esperem que o movimento desapareça, a inspeção poderia forçar maior transparência e vigilância financeira num movimento conhecido por guardar segredos.A maioria dos estudiosos traça as origens da teologia da prosperidade a E.W. Kenyon, um evangelista e pastor da primeira metade do século 20.Mas foi só depois da 2ª Guerra Mundial e depois do aparecimento de dois evangelistas de Tulsa, Oklahoma, que a teologia da "saúde e da riqueza" se tornou competitiva em igrejas pentecostais e carismáticas.Oral Roberts e Kenneth Hagin e mais tarde Kenneth Copeland treinaram dezenas de milhares de evangelistas com uma mensagem que reverberava numa classe média emergente, disse David Edwin Harrell Jr., biógrafo de Roberts. Copeland está entre aqueles que estão sendo agora investigados."O que Oral fez foi desenvolver uma teologia que dava aprovação para a prosperidade" , disse Harrell. "Ele permite que os pentecostais sejam fiéis às antigas verdades que seus avós abraçavam e serem parte do mundo moderno, onde eles poderiam ter bons empregos e fazer dinheiro". Os ensinos assumiram vários nomes: reivindicação, "palavra de fé" e evangelho da prosperidade. Os pregadores da prosperidade dizem que não é tudo sobre dinheiro, que as bênçãos de Deus se estendem à saúde, relacionamentos e bem-estar suficientes para ajudar os outros.Eles têm versículos da Bíblia na ponta da língua para defenderem suas posições. Um dos versículos muitas vezes citados, na Segunda Epístola de Paulo aos Coríntios, diz: "Ele se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos".Os críticos reconhecem que a idéia de que Deus quer abençoar seus seguidores tem base bíblica, mas dizem que os pregadores de prosperidade usam os versículos fora de contexto. Os adeptos da prosperidade também não conseguem reconhecer os relatos bíblicos que mostram que Deus nem sempre recompensa os crentes fiéis, disse Palmer.O Livro de Jó é um caso de religiosidade não recompensada, e um capítulo no Livro de Hebreus inclui uma longa descrição de crentes que foram torturados e martirizados, disse Palmer.Contudo, o evangelho da prosperidade continua a atrair multidões, principalmente pessoas da classe média e baixa que, dizem os críticos, têm a motivação maior e que mais têm a perder. A mensagem de prosperidade está se espalhando em igrejas negras, atraindo idosos com rendas descartáveis, e alcançando igrejas imensas na África e outras partes do mundo em desenvolvimento.Uma das atrações do ensino é que não se importa com os temas cristãos tradicionais de céu e inferno, mas em dar respostas a preocupações urgentes do aqui e agora, disse Brian McLaren, um escritor e pastor evangélico liberal. Mas o evangelho da prosperidade, McLaren declarou, não só rouba a esperança das pessoas vulneráveis, mas também coloca ênfase exagerada no sucesso e felicidade individual."Temos ignorado muito o que a Bíblia diz acerca de injustiça geral", ele disse.As políticas de limitações e inspeções que são fundamentais em denominações cristãs são em grande parte inexistentes em igrejas da prosperidade. Um dos pastores sendo investigado pelo Senador Grassley é o Bispo Eddie Long, de Atlanta. O bispo escreveu que Deus o orientou a se livrar da "ímpia estrutural ministerial" do conselho de diáconos.Alguns pastores exibem suas próprias riquezas como prova de que seu ensino funciona. O Pr. Creflo Dollar, de Atlanta, que está lutando contra a investigação de Grassley, possui um Rolls Royce, tem casas de milhões de dólares e viaja num jatinho de sua igreja. Numa carta para Grassley, o advogado de Dollar chama o evangelho da prosperidade de uma "convicção profundamente religiosa" baseada na Bíblia. Portanto, segundo ele, é liberdade religiosa protegida. Grassley disse que sua investigação não lida com teologia. Mas até mesmo alguns críticos do evangelho da prosperidade, como o Rev. Adam Hamilton, da Igreja Metodista Unida da Ressurreição na Cidade de Kansas, Missouri, diz que a investigação está entrando num campo minado. Hamilton tem uma igreja de 15.000 membros."Como é que dá para decidir quanto dinheiro um pastor assim pode fazer quando sua teologia básica é que é certo ter riquezas?" disse Hamilton, que se formou na Universidade Oral Roberts, mas depois deixou o movimento carismático. "Isso entra em questões teológicas". Há evidência de mudança. Os Ministérios Joyce Meyer decidiram executar reformas financeiras em anos recentes, inclusive divulgar ao público declarações financeiras devidamente aprovadas em auditoria. Meyer, que prometeu cooperar totalmente com o Senador Grassley, divulgou uma declaração frisando que um evangelho de prosperidade que "exclusivamente iguale bênção com ganho financeiro sofre de desequilíbrio e pode prejudicar a caminhada de uma pessoa com Deus. ''E PENSAR QUE JESUS NUNCA TOCOU EM DINHEIRO''. O grifo é meu, Pastor Jorge Pires.

Título original: Gospel of wealth Facing Scrutiny

sábado, 1 de agosto de 2009

SINÉDRIO IGUAL AQUELE QUE JULGOU E MANDOU JESUS A PILATOS SE REUNE


SINÉDRIO SE REUNE EM SEÇÃO EXTRAORDINÁRIA!
Sinédrio, igual aquele que julgou e mandou a Jesus Cristo a Pilatos, se reune para traçar metas para reconstrução do templo, fazer a paz com o mundo mulçumano e trazer o messias, que eles dizem que é o mandi judeu mulçumano. Rabinos de Sanhedrin se encontram com Adnan Oktar. Há pouco recentemente o Sanédrio israelita se encontrou com o intelectual muçulmano e Mahdist Adnan Oktar para discutir o futuro do Oriente Médio e como um turco que conduziu União islâmica que trará paz e harmonia à região. A reconstrução do Templo judeu está entre os planos dirigidos pelo Sinédrio e o intelectual de muçulmanos que estão procurando o Mahdi islâmico para trazer uma era de paz às nações do Oriente Médio e ao mundo.

SOMENTE UMA HIPÓTESE E CONJECTURA DA NOSSA PARTE:
O recente diálogo entre o Sinédrio israelita e o intelectual muçulmano e Mahdist Adnan Oktar que buscam trazer paz e reconciliação entre judeus e os muçulmanos dá impressão pelo menos de que a idéia de um anticristo muçulmano no Oriente Médio ao invés de um anticristo europeu, que não é uma impossibilidade como alguns os assim chamados peritos em profecia reivindicam. É possível que o Mahdi islâmico esperado esteja sendo promovido por Adnan Oktar se o mesmo for o anticristo. O turco conduziu uma União islâmica promovida por Adnan Oktar que busca estabelecer paz no Oriente Médio que incluirá o Israel que pode muito bem ser a aliança que o anticristo confirmará em uma data posterior durante sete anos. Não que está será a própria aliança, mas que será a iniciativa que será usada como uma plataforma pelo anticristo que vem a cena mais tarde para confirmar uma aliança com os judeus que podem dar a permissão a eles para compartilhar o Monte de Templo com os muçulmanos. Muitos estão procurando um acordo de paz entre o anticristo e o governo israelita, mas isso pode não ser o caso desde que o Israel é governado por um governo secular. A aliança que o anticristo confirmará , poderia ser com os judeus ortodoxos que desejam reconstruir o Templo judeu em Jerusalém e assim excluir o governo secular até certo ponto em Israel. Estes judeus ortodoxos poderiam ser os ''muitos '' que se refere Daniel 9:27 deste que o contexto da passagem faz referência ao sistema sacrifício da lei Mosaica que os judeus ortodoxos desejam observar e que requer um Templo judeu.

Também poderia ser possível que aos judeus pudesse ser concedida a permissão para reconstruir o Templo até mesmo antes do anticristo aparecer e confirmar a já aliança existente e tal projeto poderiam ser parte deste plano turco de união islâmica pela paz. A maioria de nós cristãos podem ser pegos de surpresa se de fato for este o caso com tal desenvolvimento, desde a maioria está procurando um anticristo europeu que regerá em cima de uma confederação européia de nações enquanto a Bíblia parece querer apontar a um anticristo do Oriente Médio, que regerá em cima de uma confederação destas nações. http://www.apologiajudaica.blogspot.com/ e se voce quer saber mais como andam os preparativos para a construção do 3º templo onde o anticristo vai se assentar consulte http://www.templeinstitute.org/